O santuário de elefantes de Chiang Mai | TAILÂNDIA

Um dos pontos altos (senão o mais alto) da viagem à Tailândia foi a visita ao Elephant Nature Park em Chiang Mai. “Um dia vais tomar banho com elefantes”. Se há uns anos me tivessem dito isto não iria acreditar! Foi sem duvida uma experiência fantástica poder conviver tão perto com estes animais, que apesar de imponentes transmitem uma paz de alma indescritível.

O Elephant Nature Park é um santuário de elefantes no norte da Tailândia, a cerca de 60 km a norte da cidade de Chiang Mai, que oferece casas para estes animais e contribui para o seu desenvolvimento. Para além de funcionar como centro de acolhimento de elefantes, serve também como refugio de búfalos, gatos, cães e outros animais abandonados.

Existem várias modalidades para visitar o parque. Desde a visita rápida de meio dia até à pernoita de dois dias no meio do santuário. A lista de todas elas, bem como preços e uma pequena descrição do que é feito em cada um durante o dia, pode ser encontrado no site do mesmo (link). A compra do bilhete é possível ser feita através do site ou presencialmente na loja em Chiang Mai (ver localização no mapa em baixo). Comprar na loja tem o bonus de poder brincar com os muitos cachorros pequenos que por lá andam a correr de um lado para o outro.

Das várias modalidades existentes optei pela visita normal de um dia (Single Day Visit). Inclui alimentar os elefantes, tomar banho com eles, almoço vegetariano, vários passeios no parque, e transporte do hostel para o campo e vice-versa. Cada entrada nesta modalidade tem o custo de 2500 THB (aprox. 65 €). Pode parecer caro mas vale cada euro! Toda a informação mais detalhada encontra-se aqui.

As atividades

O dia começa cedo com a mini-van do parque a ir buscar os visitantes aos seus respectivos hotéis/hostels. Pontuais e às 7:30 estavam à porta do meu. A viagem em direcção a norte faz-se por entre as movimentadas avenidas de Chiang Mai, durante a qual é mostrado um video das origens do parque, quem foi a sua fundadora e de os do’s and dont’s a ter em conta durante a visita.

Depois de mais ou menos hora e meia de viagem, com uma paragem pelo meio para esticar as pernas, chegamos ao santuário. A area do parque é enorme, um espaço aberto entre dois montes verdes e junto a um rio, com as instalações de apoio à entrada. O nosso guia, que já vem connosco na carrinha desde a cidade, faz uma pequena introdução de como vai ser o dia, diz onde deixar as nossas mochilas e termina com um “who want’s to feed some elephants?”.

O que tínhamos para dar de comer aos bichos eram uns cestos cheios de fruta, melancias às metades e cachos inteiros de bananas, e umas bolas arroz quais bolas de futebol. A alimentação era feita na estrutura principal do parque, onde os animais se aproximavam mas estava sempre separados de nós por dois grandes corrimões, evitando assim que algum mais esfomeado levasse o cesto da comida e mais uma perna ou outra atrás.

Após a alimentação saltamos para o terreno e é aí que começa a parte gira. Confesso que ter um animal de 2 metros e algumas toneladas ao lado impõe algum respeito. Mas eles são mesmo amigáveis. Podemos tocar, brincar e dar mais um pouco de comida que não se chateiam. É fantástico poder caminhar lado a lado com eles. A manhã é passada a percorrer uma parte do parque, onde nos são apresentados e contadas as várias histórias dos elefantes que por ali andam livremente.

Chegada a hora de almoço todos os grupos são levados para a casa de apoio ao parque onde está preparado um almoço vegetariano em regime buffet. A variedade de comida é muita, desde fruta a lasanha vegetariana, a crepes chineses. Serve para agradar a todos e recarregar energias para o que vem à tarde. No fim do almoço cada um tem de recolher e pré-lavar os seus pratos e talheres, criando um ambiente de entre ajuda entre os visitantes e os voluntários/ajudantes do parque.

Depois do almoço leve e de uma voltinha na loja de souvenirs do parque, chega o momento que muitos estão à espera (eu incluído): dar banho aos elefantes! Somos levados com os ditos para junto do rio que banha o parque. Para que os animais fiquem no mesmo sitio são lhes postos à frente cestos com comida. Enquanto se vão entretendo com o lanche nós e os tratadores vamos dando-lhes banho com baldes de água para cima. A brincadeira dura enquanto houver comida no cesto e/ou eles já estiverem fartos (neste dia durou mais ou menos meia hora).

Para terminar a visita damos uma ultima volta pelo parque a ver as zonas que faltam. Somos apresentados ao benjamim da família, um elefante ainda bebé, e aos restantes animais do parque que por ali andavam livremente (caminhar por entre uma manada de búfalos é giro).

No final são feitas as despedidas e os agradecimentos, e voltamos todos para os autocarros para a viagem de regresso aos respectivos hostels.

O parque

O parque está localizado num pequeno vale junto ao rio, no entanto a sua área é plana e tem à volta de 100 hectares (o equivalente a aproximadamente 250 campos de futebol). Existe uma casa de apoio ao parque onde estão as principais instalações: recepção, refeitório, casas de banho, loja, dormitórios para os voluntários. Engloba também toda a zona logística para o tratamento dos elefantes e restantes animais. É aqui que são servidas as refeições e é também aqui por onde deambulam os gatos e cães amigáveis que foram resgatados e entregues ao parque.


Este santuário é sem duvida um must have em qualquer lista de coisas a fazer na Tailândia. Passa-se um dia fantástico na companhia de elefantes dóceis e ganha-se uma enorme experiência para a vida. Ao contrário do que acontece em muitos campos de turistas no país onde os animais são maltratados (normalmente são aqueles em que deixam o visitante montar os elefantes), aqui são acolhidos e recuperados. É assim que todos os animais devem ser apreciados e admirados, livres e não enjaulados em zoos ou circos sabe-se lá em que condições ou com que tratamento. O trabalho feito por estas pessoas (e por quem quiser ajudar) é de louvar, e sem duvida que um dia que volte aquelas paragens lá estarei outra vez!

Custo: 2500 THB (aprox. 65 €)

Sites úteis:

Artigos relacionados

2 comentários

    1. Olá Maria! Aconselho-te a comprar online visto a adesão ser muita (por exemplo, pelo que vejo no site já só têm disponibilidade em Fevereiro para o Single Day Visit nos dias 26 e 27).

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *