Malásia e Myanmar em 14 dias | MALÁSIA | MYANMAR

Segue aqui o roteiro ao ainda relativamente virgem do turismo em massa Myanmar, e à já evoluída Malásia. Há passeios de scooter por entre templos centenários, viagens de barco por lagos magníficos, monções, e muito mais. O vídeo tenta resumir tudo em 4 minutos. Vamos lá ver se dá.

Créditos

Conteúdo:
  • Nº fotografias tiradas – 878
  • Nº clips de video – 422
  • Total de dados – 12,2 GB
Equipamento:
  • Sony RX-100
  • GoPro HERO4 Silver
Software de edição:
  • Final Cut Pro X
Audio:
  • WAY – More Than Just a Feeling feat. Suga

Trajecto

O principal país a visitar desta viagem é sem dúvida Myanmar uma vez que sendo Kuala Lumpur um hub para muitos voos internacionais (e casa mãe da AirAsia), é muito mais provável que se volte lá.

A entrada no Sudeste Asiático é feita pela capital malaia, onde se aproveita um par de dias para visitar a cidade. Depois voa-se para Myanmar, para Yangon, onde também dois dias dão para levar com o choque cultural e absorver todas as diferenças. Autocarro nocturno para Bagan, onde, 8 horas depois, se vê o nascer-do-sol. Bagan merece muito mais mas o plano só permite três dias. Ao terceiro segue-se para Inle Lake, de autocarro também, mas desta vez durante o dia. Depois de passeios de bicicleta debaixo de chuva e viagens de canoa a motor no lago, regressa-se a Yangon para o voo de regresso à Malásia. Dois dias para as últimas experiências, para regatear um par de souvenirs, e regressa-se a Portugal.

Segue então em baixo, a sugestão de roteiro mais detalhado para uma viagem à Malásia e a Myanmar ao longo de 14 dias (ilustrada no mapa na figura acima).

Dia 1: Kuala Lumpur

Chegada a Kuala Lumpur ao final do dia. Jantar e passear pelo mercado de Petaling Street.

Dia 2: Kuala Lumpur

Visitar as Torres Petronas durante a manhã, bem como o oceanário que existe nas redondezas. Almoçar no centro comercial perto. Durante a tarde explorar o Kuala Lumpur Eco Park que fica na base da Torre Menara, e no final do passeio subir à torre e apreciar a vista. Jantar num qualquer restaurante de rua da Jalan Alor e passear por pelo bairro muito iluminado de Bukit Bintang.

Dia 3: Kuala Lumpur – Yangon

Ir para o aeroporto durante a manhã e apanhar um voo para o Yangon. Chegada à tarde à maior cidade do Myanmar. Percorrer as ruelas da Downtown (onde é aconselhável ficar alojado), e para jantar petiscar nas bancas de rua que aparecem ao mesmo tempo que os mercados noturnos.

Dia 4: Yangon

De manhã passear pelos mercados matinais na Downtown da cidade. Visitar a Shwedagon Pagoda. Fazer a pé o percurso desde a pagoda até ao centro, percorrendo as ruelas pelo meio e passando pela estação de comboios. Lanchar numa qualquer casa de chá da baixa. Ao final do dia apanhar um taxi para o terminal de autocarros que fica fora da cidade. Depois apanhar um autocarro noturno para Bagan.

Dia 5: Bagan

Chegar durante o amanhecer a Bagan. Apanhar um taxi desde o terminal dos autocarros até ao centro da vila e deixar as malas no hostel/hotel. Alugar uma mota ir ver o nascer do sol no topo de um templo à escolha. Durante o dia, percorrer a planície de mota e explorar a zona, visitando tantos os templos mais conhecidos (ex. Dhammayan Gyi, Myauk Guni, etc.) como os mais remotos e sem turistas. Ver o por do sol no topo de um dos templos. Jantar na vila de Nyaung-U, numa rua perpendicular à principal onde existem restaurantes bons.

Dia 6: Bagan

De manhã ir ao mercado de Nyaung-U, e ver a Shwezigon Pagoda, um templo enorme e dourado. Ir à Lawka Nandar Pagoda junto ao rio e almoçar perto em New Bagan. Durante a tarde continuar a explorar a planície e os templos a perder de vista. Ver o por do sol mais uma vez no topo de um templo e jantar algures nas redondezas.

DIa 7: Bagan – Inle Lake

Saída de Bagan de autocarro, durante a manhã, em direcção ao Inle Lake. Chegada ao lago durante a tarde. Passear pela vila de Nyaungshwe ao final do dia. Ver os barcos, o rio que liga ao lago, e os enormes campos de arroz. Jantar num qualquer restaurante local (sugestão: ir ao Linn Htet na avenida principal).

Dia 8: Inle Lake

Ir ao mercado de manhã. Alugar uma bicicleta e fazer o West Corridor junto ao lago até as casas de produção de tofu (são 2 horas de viagem mas o caminho é plano, faz-se bem, e é muito bonito). Almoçar numa tasca de rua. Regressar a Nyaungshwe durante a tarde. Ver a Yadanar Manaung Pagoda. Percorrer um pouco do rio em direcção ao lago e ver a Kyaut Phyu Gyi Pagoda e as aldeias nas redondezas da vila (e provavelmente muitos jovens a jogarem voleibol). Jantar na vila e ver a juventude local a divertir-se no ringue de patinagem no centro da vila.

Dia 9: Inle Lake

Em Nyaungshwe alugar uma das canoas com um guia e visitar os vilarejos nas margens do lago, bem como os pescadores e a hortas flutuantes no se centro. Fazer o passeio de barco pelo lago durante todo o dia. Ao final da tarde regressar a Nyaungshwe para apanhar um autocarro noturno de regresso a Yangon.

Dia 10: Yangon

Chegar de manhã à cidade. Passear a pé pela cidade e ir ver o Bogyoke Park. Ir ver a Chauk Htat Kyi Pagoda (com um Buda enorme deitado) e a Ngar Htat Gyi Pagoda (com um Buda enorme sentado). Regressar a pé até ao centro durante a tarde. Explorar os mercados e o caos desta parte da cidade.

Dia 11: Yangon – Kuala Lumpur

Ao inicio da manhã ir para a estação de comboios da cidade e apanhar o comboio circular de Yangon. A viagem dura 3 horas mas é uma excelente oportunidade para ver a realidade da periferia de Yangon. Almoçar no mercado Bogyoke Aung San e aproveitar para comprar os últimos souvenirs. Ao final da tarde seguir para o aeroporto e apanhar um voo de regresso a Kuala Lumpur.

Dia 12: Kuala Lumpur

Ir às Batu Caves durante a manha. Para além do templo hindu no topo da escadaria, explorar as caves propriamente ditas com a ajuda de um guia. Almoçar no Dhivya’s Cafe, um restaurante indiano delicioso mesmo em frente às caves. Durante a tarde  visitar o bairro islâmico e o Museu de Arte Islâmica da Malásia. Jantar num dos restaurantes da Jalan Alor.

Dia 13: Kuala Lumpur

Visitar o templo hindu de Sri Mahamariamman. Passear pela praça principal da cidade com a enorme torre do relógio. Percorrer os templos chineses que existem no centro da capital (Sin Sze Si Ya, Kuan Yin, e Guan Di). À noite ver o espetáculo de luzes nas Torres Petronas.

Dia 14: Kuala Lumpur

Tempo para os últimos souvenirs durante a manhã, antes de seguir para o aeroporto para o voo de regresso a casa.

Preços

Para se ter uma noção do que se gasta, partilho em baixo os preços médios de algumas itens essenciais.

Malásia
  Preço médio
Água (1,5 L) 1,6 Ringgit  (0,35 €)
Fruta (vendida em sacos, cortada na rua) 1,4 Ringgit (0,30 €)
Comida de rua 2,5 Ringgit (0,55 €)
Jantar em Jalan Alor 15 Ringgit (3,20 €)
Jantar em Chinatown 4,6 Ringgit (1,00 €)
Entrada no Museu de Arte Islâmica 10 Ringgit (2,20 €)
Entrada nas Dark Caves 35 Ringgit (7,60 €)
Comboio Aeroporto – Kuala Lumpur 55 Ringgit (11,90 €)
Viagem de Metro em Kuala Lumpur 1,6 Ringgit (0,35 €)
Comboio Kuala Lumpur – Batu Caves 2 Ringgit (0,43 €)
Myanmar
  Preço médio
Água (1,5 L) 200 Kyat (0,15 €)
Fruta 200 Kyat (0,15 €)
Comida de rua 300 Kyat (0,30 €)
Refeição num restaurante (1 pessoa) 1800 Kyat (1,30 €)
Aluguer de scooter eléctrica em Bagan 3000 Kyat (2,20 €) / dia
Autocarro Yangon – Bagan 16000 Kyat (11,50 €)
Taxi Aeroporto Yangon – Centro cidade 5000 Kyat (3,50 €)
Entrada na Shwedagon Pagoda 8000 Kyat (5,75 €)
Entrada na área protegida de Bagan 25000 Kyat (18,00 €)
Entrada individual na reserva de Inle Lake (aceitam euros) 12500 Kyat ou 10 €
Viagem de canoa a motor em Inle Lake (todo o dia) 7500 Kyat (5,40 €)
Bilhete do comboio circular de Yangon 200 Kyat (0,15 €)

Alojamento

No que toca a estadias, a qualidade das mesmas surpreende bastante, principalmente em Myanmar. De notar também que ganham muitos pontos com a simpatia das pessoas que por lá trabalham.

Nota: os preços apresentados são por pessoa por noite.

Hostel Cidade Preço/noite Notas
Travel Hub Highstreet Kuala Lumpur 9 € Quarto muito bom em que a cama de casal ficava numa estrutura de metal por cima da sala. Para lá chegar tinha de se subir uma escada, o que ao final do dia depois de muito andar não era fácil! O ex-libris do hostel era o rooftop. Tomar o pequeno-almoço com vista para o skyline de Kuala Lumpur era receita infalível para começar bem o dia.
Raizzy’s Guesthouse Kuala Lumpur 7 € Quarto duplo simples, apenas com uma pequena janela. Contudo serviu perfeitamente o seu propósito: uma noite bem descansada depois de aterrar na Malásia.
20th Street Hostel Yangon 10 € (quarto duplo)
7 € (dormitório)
Este hostel foi uma bonita surpresa. Chefiado por um grupo de miúdos locais, foi o mais hospitaleiro por onde já passei. Limpo, com o ar-condicionado essencial nos quartos e nas camaratas, nem o ocasional corte de energia nos demoveu de lá voltar na segunda passagem por Yangon!
Shwe Nadi Guest House Bagan  8 € O quarto era grande e o upgrade para um com casa de banho privada de graça foi a cereja no topo do bolo. Sempre deu para lavar a roupa no chuveiro! Pequeno-almoço fantástico, com muita fruta e fatias douradas preparadas na hora. Chá e café também não faltou. O hostel alugava motas eléctricas por 2 €/dia. Escusado será dizer que adorámos.
Manaw Thukha Hotel Nyaungshwe (Inle Lake) 13 € Hotel na periferia da vila, onde o preço alto que pagámos coincidia com a qualidade. Novamente, o que caracterizava os hotéis/hostels de Myanmar também estava presente aqui. Empregados super simpáticos, pequenos-almoços de encher a barriga, e com um bónus de ter bicicletas para alugar de graça!

Links úteis:

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *