Como ir de Varanasi a Pokhara por terra? | ÍNDIA | NEPAL

Ir de Varanasi na Índia a Pokhara no Nepal, e atravessar por terra a fronteira entre os dois países, faz-se com relativa facilidade. No entanto, fica o aviso de que a viagem de autocarro em terras nepalesas é penosa. Fazer esse percurso foi, sem margem para duvidas, uma das piores experiências que tive de ultrapassar em todas as minhas viagens (detalhes mais em baixo)! No entanto, Pokhara é maravilhosa, e se tivesse de fazer tudo outra vez faria sem olhar para trás.

1 – Comboio entre Varanasi e Gorakhpur

A primeira etapa desta viagem começa com a saída de Varanasi de comboio. Existem vários, com frequência diária, entre Varanasi e Gorakhpur. Convém apanhar um o mais cedo para não ser obrigado a pernoitar junto à fronteira em Sonauli (não há nada para ver, e a confusão de gente, touts, e esquemas é enorme). O MUV MFP EXPRESS que passa por Varanasi às 07:45 da manhã e chega a Gorakhpur às 11:40 é uma excelente opção. Fui numa carruagem AC3 – air condicioned 3 tier – no beliche de cima dos três disponíveis. Correu sem problemas, e o beliche tinha espaço suficiente para guardar também as malas.

Marcar comboios na Índia não é definitivamente um processo simples (criei um guia passo-a-passo de como o fazer aqui: Como comprar bilhetes de comboios Indianos online) Fi-lo com algum tempo de antecedência e diga-se, não tive problemas nenhuns. Fica a nota também que no comboio basta mostrar o ficheiro .pdf que se recebe aquando da compra do bilhete, impresso ou no telemóvel, para ser aceite como válido pelo revisor.

Preço: 586 ₹ (aprox. 7,9 €)

2 – Autocarro entre Gorakhpur e Sonauli

Ao chegar a Gorakhpur basta sair da estação pela porta principal e seguir a avenida que segue para sul mesmo em frente aos portões da mesma (é perpendicular à avenida da estação). Muitos autocarros estão à saída da estação (zona a vermelho no mapa em baixo), mas o truque é não entrar logo no primeiro que se vê. Há muitos touts a gritarem “Sonauli, Sonauli”, mas é não ligar e seguir em frente na avenida. Cerca de 300 metros depois, à esquerda, está o edifício da estação de autocarros. É perguntar por aí pelo autocarro local para Sonauli. Não existem placas nem locais específicos para cada destino, o truque é mesmo ir perguntando aos locais.

Quando o fiz, mandaram-me de volta para os autocarros que estavam parados à beira da estrada, fora da estação (zona verde no mapa em cima). Perguntei a vários motoristas e um deles lá me levou ao autocarro certo. Perguntei o preço antes de entrar, 150₹. Pelo preço pareceu-me ser este o autocarro local. Comprovou-se quando entrei e sentados só estavam indianos e nepaleses. Turistas, só mesmo eu.

O autocarro é bastante confortável e tem ar-condicionado. A viagem dura cerca de 3 horas e meia e, excepto a ocasional musica indiana aos altos berros, é muito tranquila.

Preço: 154 ₹ (aprox. 2,1 €)

3 – Vistos e atravessar a fronteira a pé

Sonauli é o caos. Para além do facto comum de as zonas fronteiriças serem sempre movimentadas, Sonauli estava particularmente caótica devido às obras a que estava a ser sujeita na altura. O pó no ar era muito, o barulho das maquinas infernal. É mesmo para sair dali rápido.

A zona onde o autocarro de Gorakhpur pára não é mais que um descampado. Existe um caminho que segue, por entre lixo e vacas, para a estrada principal. Aí, em vez de virar à esquerda para a fronteira, há que virar primeiro à direita para ir ao posto de imigração indiano receber o carimbo de saída do país. Este posto fica logo depois da curva, mas não tem muitas indicações (ver localização no mapa em cima). É perguntar aos locais. O passaporte é carimbado num processo super simples de “dá cá o passaporte” – carimbo – “agora vai-te embora”, que não dura mais de 5 minutos.

Depois é seguir para a fronteira, passar por baixo dos arcos “Indian border ends” e “Welcome to Nepal”, e pronto, está-se no novo país. Não há guarda na fronteira, necessidade de mostrar passaporte carimbado, nada. Se na altura não tivesse achado estranho entrar no Nepal sem ter o carimbo de saída da Índia e ter perguntado a um policia que lá estava qual era o procedimento, teria entrado no país tranquilamente sem ninguém  ter dito nada. Parecia que estava a atravessar uma qualquer fronteira Portugal-Espanha.

Já do lado nepalês, o gabinete de imigração fica à direita depois de atravessado o arco. O visto pode ser feito à chegada, basta trazer uma fotografia tipo passe, preencher a papelada necessária, e pagar o respectivo montante em USD. Quando fui, planeei mal a coisa no dia anterior e cheguei à fronteira só com Euros. Por sorte lá consegui pagar os 25 USD que me pediram com 30 €, recebendo depois 5USD como troco. Salganhada portanto, mas lá me livrou de uma dor de cabeça. O posto de turismo fica também ali. Estes foram super simpáticos, e até me deixaram descansar no seu sofá um par de horas enquanto esperava pelo autocarro para Pokhara.

4 – Autocarro até Pokhara

O pequeno balcão onde se compram os bilhetes do autocarro fica perto de uma zona de lojas à direita da estrada, a cerca de 200 metros da fronteira (ver mapa em cima e foto em baixo). Existem duas possibilidades para chegar a Pokhara. Ambas as viagens têm o mesmo preço mas têm percursos diferentes: a com o a distancia menor mas onde a estrada é mais sinuosa e está mais degradada (percurso A no mapa), ou a com distancia maior mas que a partir de metade tem estrada alcatroada e não tem tantas curvas (percurso B no mapa). Ambas fazem com que o autocarro demore cerca de 8 horas para chegar ao destino.

É uma viagem morosa mas que vale pela experiência de viajar como e com os locais. Se a voltava a fazer? Se tivesse alternativa, provavelmente não. Mas não a deixo de recomendar, mais que não seja pela história com que se fica para contar!

Chega-se a Pokhara ao inicio da manhã, e na estação dos autocarros existem vários táxis disponíveis para o transporte final até ao hostel.

Preço: 300 ₹ (aprox. 4 €)

A minha experiência

Na escolha do autocarro para Pokhara, optei pela segunda opção, mais tranquila esperava eu, mas mesmo assim não me safei. Fica o aviso, a viagem custa. O autocarro não é novo, suspensão e amortecedores zero, e a estrada é de terra batida com buracos constantes. Todos os lugares iam cheios, até o corredor do autocarro ia cheio com pessoas sentadas em bancos no meio do chão (se a minha viagem já custou imagino a daquelas pessoas que passaram as 8 horas sentadas num banco!). O autocarro faz varias paragens a meio do caminho. Numa delas lembro me de pensar “É noite cerrada, estou no meio do Nepal sozinho, sem fazer a mínima ideia onde. Porreiro pá!”.

Foi impossível dormir durante a viagem. Os constantes sobressaltos nada suaves do autocarro eram incompatíveis com encostar a cabeça a qualquer lado. Para ajudar à festa,tinha um tipo nepalês a dormir com a cabeça encostada a mim. Eu bem que o tentava empurrar para o outro lado mas acabava sempre por vir parar em cima do meu ombro.

Mas o mais interessante foi mesmo a meio da noite, quando me apercebo que estamos a atravessar uma estrada que de um lado não tinha nada, só ravina. Ia junto à janela e conseguia ver a roda do autocarro a um palmo do precipício! A estrada era estreita e cada vez que vinha um camião em sentido contrário era a roleta russa. Meio metro e uma guinada brusca do motorista separava-nos de uma queda para o meio da escuridão. O coração batia forte da adrenalina mas ainda ficou pior um pouco depois. O autocarro pára, o motorista sai, junta-se a outras pessoas e começam todos a olhar para baixo. Olho na mesma direcção e, depois de me habituar à escuridão, vejo os contornos de um autocarro capotado lá em baixo! Não consegui fechar mais os olhos durante o resto da viagem.


Gastos arredondados (em euros, à taxa de conversão à data):

  • Comboio Varanasi – Gorakhpur : 8 €
  • Autocarro Gorakhpur – Sonauli: 2 €
  • Autocarro Sonauli – Pokhara: 4 €

TOTAL: 14 €

Sites úteis:

Artigos relacionados

2 comentários

  1. Olá Pedro
    Obrigado pela descrição,esta-me a dar uma grande ajuda no planeamento da minha viage, Irei em Outubro vou fazer essa mesmoa aventura!
    Diz-me uma coisa, tenho como saber os horários do autocarro para Pokhara?
    Gostaria de fazer essa viagem durante o dia
    Obrigada

    1. Olá Inês, existem autocarros durante o dia para Pokhara que partem de Sunauli, mas desculpa não te sei precisar os horários. A oferta é muita junto à fronteira, entre autocarros locais e mini buses para turistas, não deves ter problemas em arranjar transporte! Mas lembra que para fazeres a viagem de dia tens de estar em Sunauli durante a manhã/inicio da tarde para a partida, o que implica teres de pernoitar por lá perto. Se precisares de mais alguma dica não hesites, ajudarei no que conseguir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *