O que fazer em Aswan (e como não ser enganado no templo de Philae) | EGIPTO

Cidade mais a sul do Egipto, Aswan não é só um ponto de passagem para visitar o Templo de Abu Simbel. Não sendo muito grande, consegue ter ainda uma mão cheia de coisas super interessantes para fazer (antes de se sair para a tal viagem ao templo que quase ia ficando submerso).

Dois dos pontos a visitar ficam fora do centro da cidade, mas é fácil conseguir arranjar um taxi que leve a ambos. Normalmente negoceia-se por um preço fixo o transporte desde o centro de Aswan ao obelisco inacabado, à barragem, e ao cais dos barcos para o Templo de Philae (na altura paguei 170 E£ pelo taxi mas de certeza que se consegue mais barato).

Ir ao Templo de Philae

Tirando Abu Simbel, este é o templo a visitar na região. Podendo parecer-se com todos os outros, o Templo de Philae tem como característica maior o facto de estar assente numa pequena ilha, e, consequentemente, estar rodeado de água. Tal como Abu Simbel, também este foi desmantelado e transladado do seu lugar original devido à construção das barragens de Aswan (neste caso devido à Low Dam, barragem mais antiga construída no inicio do século XX). Não é muito grande e é ideal para uma visita ao final do dia (fazer a travessia de barco ao pôr do sol é lindíssimo).

Para lá chegar existem duas opções: ou ir numa tour organizada pelo hotel/hostel (mais simples, já inclui o transporte e bilhetes de entrada, mas possivelmente mais caro) ou alugar um taxi, ir até à pequena marina onde estão atracados os barcos para a ilha, e fazer o percurso por conta própria (mais flexível mas mais propicio a dores de cabeça).

Neste caso é aconselhável aderir à tour, tudo por causa do esquema que está montado à volta dos barcos para a ilha. Como são a única maneira de chegar à ilha, os donos dos barcos praticam o preço que querem para a viagem. Como todos alinham no esquema, não há maneira de baixar o preço visto nenhum deles aceitar fazer a viagem mais barata. 

Resumindo: para visitar o Templo de Philae e não ser enganado o melhor é mesmos ir numa tour organizada pelo hotel/hostel.

Apanhar um barco até à ilha de Elephantine

A ilha de Elephantine mesmo ao largo da cidade no meio do Nilo está mesmo no top de coisas a fazer em Aswan. Com as características casas feitas de barro, sabe bem percorrer as ruelas labirínticas e ficar perdido no meio da ilha. É de fácil acesso, com pequenos barcos a fazerem a travessia entre as margens da cidade e as da ilha.

Mais informações sobre a ilha de Elephantine no post: A ilha de Elephantine e o povo Núbia de Aswan | EGIPTO

Ver o obelisco inacabado

Existe uma pedreira em Aswan onde está, ainda por acabar, o maior exemplar de todos os obeliscos descobertos no Egipto. Com cerca de 40 metros de altura, é aproximadamente um terço maior que qualquer um de todos os outros. É um lugar interessante para se visitar, que serve também para se ter mais uma perspectiva da imensidão do tipo de projectos que o povo egípcio desenvolvia há milénios.

Preço: 40 E£ (cerca de 2€). 

Visitar a High Dam e o lago Nasser

Barragem monumental ao largo de Aswan, a High Dam é quem controla o caudal anual do Nilo por todo o Egipto. Construída na década de 60, foi a razão pelo qual se teve de transladar o Templo de Abu Simbel. Faz para do trio clássico de tours pela cidade (High Dam, obelisco inacabado, e Templo de Philae), e do seu topo tem-se uma vista fantástica para o Lago Nasser.

Preço: 30 E£ (cerca de 1,5€), não incluindo o transporte até lá. 

Ver o pôr do sol nas dunas do outro lado do Nilo

Sem dúvida que uma das coisas que mais gostei de fazer durante a minha estadia em Aswan foi subir ao terraço do hotel onde fiquei (El Salam Hotel) e ver o sol a por-se nas dunas gigantes do outro lado do Nilo. O terraço estava interdito aos hóspedes mas como havia pouca gente no hotel consegui que me dessem a chave para ir para lá e ter uma vista privilegiada! Caso não se consiga ver de um ponto alto da cidade, o pôr do sol visto da marginal junto ao rio é igualmente recomendado!

Passear pela Corniche Al Nile e pelo souk

Quando o sol se põe a cidade ganha outra vida. Toda a azáfama e mercados que estavam escondidos durante o dia devido ao calor, saem agora à rua. Marginal junto ao rio enche-se de gente e no souk acontece o mesmo. A zona junto à estação dos comboios fica igual, e é excelente para ponto de partida para percorrer todas as ruas com mercados e coisas a acontecer (como bancas de kebaps improvisadas no meio da rua).

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *