Como fazer o visto para a China | CHINA

[Update 19/11/2018]: desde o dia 7 de Novembro de 2018 que o processo para a obtenção de um visto chinês foi alterado. Face ao aumento do número de pedidos de visto, o governo chinês abriu em Portugal o Chinese Visa Application Service Center para concentrar e agilizar todos estes processos. Existe um novo site do Centro com informação de como pedir o visto, bem como uma ferramenta online que ajuda a preencher o formulário de pedido do mesmo (que se manteve igual como o que é referido em baixo no post). Existe também agora a possibilidade de agendar uma ida ao Centro de Vistos, reduzindo em muito o tempo de espera para ser atendido.

Face ao que está descrito neste post, há duas novidades:

  • Onde pedir: a morada do novo Chinese Visa Application Service Center é Av. António Augusto de Aguiar Nº 130 5º Andar Lisboa (em frente ao El Corte Inglês);
  • Custo: o preço do visto manteve-se o mesmo (60€), mas agora existe uma taxa de serviço que se tem de pagar para a obtenção do mesmo, com o valor de 67,65 €, o que perfaz o custo total do visto de 127,65 € (ver aqui os detalhes);

Horário do Centro de Vistos:

Aberto de segunda a sexta, fechado aos sábados, domingos e feriados.

Submissões de pedidos de vistos: 9:00 – 16:00

Pagamento e coleta do visto: 9:00 – 17:00


Uma das primeiras tarefas na to-do list para uma viagem à China é fazer o visto para o país. É um processo simples, que inclui o preenchimento de um formulário longo e a compilação de vário documentos.

Documentos necessários

  • Formulário de pedido de visto preenchido
  • Fotografia tipo-passe, recente e original;
  • Declaração de trabalho carimbada e assinada pela entidade patronal;
  • Passaporte (com validade de pelo menos 6 meses além da validade do visto pretendida);
  • Fotocópia da folha de identificação do passaporte;
  • Cópia da reserva de voo de ida e volta, com o nome do próprio solicitante e com o destino para a China.

Processo

  1. Em casa, antes de ir à Embaixada, preencher o formulário indicado em cima. Os campos não aplicáveis ficam em branco, e todos os outros devem ser preenchidos com letra maiúscula para uma mais fácil compreensão. Um par de notas sobre alguns pontos:
    1. (1.23) – Principais membros da família: no meu caso pus namorada, pai e mãe, e foi suficiente (não é preciso a familia toda);
    2. (2.6) – Itinerário na China: apesar de o nosso itinerário ser um pouco diferente, coloquei apenas as grandes cidades de forma a perfazer o circuito circular: Hong Kong – Guilin – Kunming – Hong Kong. Este campo serve de argumento para o numero de entradas que se está a pedir. Tentei pedir duas entradas com esta informação preenchida, para ter alguma flexibilidade para mudar planos e visto que o preço era o mesmo, mas não foi possível. “Para que vai ser a segunda entrada?” perguntaram logo.
    3. (2.7) – Quem custará as despesas da viagem: basta pôr “o próprio”.
    4. (2.8) – Informações do convite da China: quando li este ponto pela primeira vez pensei que fosse preciso uma carta de alguém na China para garantir um comprovativo de residência, mas não, basta deixar em branco.
    5. (5) – Informações de quem preenche o formulário: no caso de a pessoa que está a pedir o visto não for a mesma a ir à embaixada então basta inserir neste ponto os dados de quem for entregar a documentação pessoalmente. Nota que mesmo assim é necessária a assinatura do requerente em 4 – Declaração e assinatura.
  2. Colar a fotografia no formulário, na zona indicada na primeira página.
  3. Colectar a restante documentação necessária. Na Embaixada existe uma fotocopiadora (20 cent./fotocopia) e uma photobooth com fotografias instantâneas, para qualquer necessidade de última hora.
  4. Ir à embaixada em Lisboa entregar os documentos (morada: R. São Caetano 2, 1200-601 Lisboa). O período de pedido de vistos é só durante a parte da manhã de 2ª a 6ª (9h – 12h). Ao entrar é necessário tirar uma senha especifica para o pedido e ficar à espera de ser atendido nos balcões logo à esquerda depois de entrar. Existe muita informação colada nas paredes de o que fazer e como proceder, e para qualquer duvida adicional existe um segurança que pode ajudar.
  5. Depois da verificação que tudo está em ordem, recebe-se o pickup form onde vem dita a data a partir do qual se pode levantar o bilhete (normalmente são 4 dias úteis depois), e um guia de como proceder ao pagamento do visto.

  1. Como o guia indica, o pagamento só pode ser feito com um depósito em numerário num balcão do banco Millenium BCP. No acto do depósito na conta da embaixada, indicar ao assistente para incluir o número que vem no pickup form no descritivo do depósito. Verificar se tudo está correcto, assinar e trazer o comprovativo da operação (fui à agência no C.C das Amoreiras e eles já conheciam o processo, o que tornou tudo mais fácil e rápido).
  2. Voltar à embaixada na data inicialmente indicada, ou depois, com o comprovativo do deposito e o pickup form e levantar os passaportes com os respectivos vistos. O horário para levantar os passaportes é de 2ª a 6ª feira, das 9h – 12h e das 15h – 17h.

Custo de emissão

60€ (independentemente de se pedir uma, duas, ou múltiplas entradas).


Para finalizar fica apenas a nota de que este post foi baseado num pedido de visto chinês em Março de 2017. Para informação actualizada sobre documentação necessária e custo consultar o site da Embaixada da Republica Popular da China em Portugal.

Artigos relacionados

12 comentários

    1. Relativamente ao vôo, o que tive de entregar foi apenas uma fotocópia do email que a companhia aérea (no meu caso a Austrian Airlines) me enviou logo após ter feito a compra através do site deles, nada mais. O foco da embaixada aqui é saber que quem faz o pedido de visto já tem à partida passagem de saída do país, e não vai lá ficar indefinidamente.

  1. Boas comprei viagem para a China, e no itenerário, estava a pensar ir à Tailandia, que fica perto e a Hong-Kong. Como funciona o visto para este itenerário? Teria de ter um visto de multiplas entradas?

    Obrigado

    1. Viva Nuno! Para esse itinerário terás de ter um visto de múltiplas entradas, umas vez que, pela tua descrição, terás de sair da China para visitar a Tailândia e Hong Kong e depois voltar à dita para apanhar o voo de regresso. O visto de uma ou múltiplas entradas tem o mesmo preço pelo que a única coisa que tens de fazer é descrever esse percurso no formulário de requisição do visto e também escolher a opção de múltiplas entradas (ou a de apenas duas entradas, se fizeres, por exemplo, o percurso Portugal-China-Tailândia-Hong Kong-China-Portugal). Se tiveres mais alguma dúvida não hesites, abraço!

    1. Viva José! Realmente essa informação já não está na página oficial da embaixada, não te consigo confirmar. Mas tenho ideia de ser 90 dias. Se tens mesmo a necessidade dessa informação aconselhava-te a telefonar para ou enviar um mail para confirmar. Desculpa não ter conseguido ajudar.

  2. Muito obrigada por este blog post, que tanto me ajudou no pedido do visto, preenchi o formulário todo literamente a olhar para aqui! 😀

    Infelizmente desde este post duas coisas mudaram, o local de pedido e o preço do visto. O pedido agora é feito na Avenida António Augusto de Aguiar, n 130, 5º andar e tem o custo de 127,65€ pois estão a aplicar uma taxa de serviço de 67,65€. Fui à Secção Consular, e o segurança encaminhou-me para a Av. António Augusto de Aguiar. A informação actualizada está aqui: http://pt.china-embassy.org/pot/xwdt/t1608550.htm

    Obrigada pela ajuda!

    1. Muito obrigado por esta informação Melissa! Confesso que desde a altura que pedi o meu no inicio do ano passado e que escrevi este guia nunca mais olhei para todo o processo de pedido de vistos chineses. Vou rapidamente atualizar o post para não induzir em erro os próximos leitores. Obrigado mais uma vez, e boas viagens! 🙂

  3. Boa noite,
    Gostaria de vos pedir uma ajuda no sentido de saber ao certo que fazer para visitar Pequim. A situação é a seguinte: Somos um grupo de 12 pessoas e vamos viajar em meados de Maio para a Taillândia regressando no dia 30 de maio. No regresso o nosso voo fará uma escala em Pequim, isto é, chegamos às 7h da manhã do dia 30 de Maio a Pequim e temos voo de regresso a Paris às 2h05 do dia 31 de Maio, assim sendo temos cerca de 19 horas para poder visitar a cidade. Pretendíamos saber que tipo de visto é necessário (penso que o de transito será suficiente), como adquirir o mesmo, quais os requisitos e qual o custo associado. De igual forma, também gostariamos de saber qual é a possibilidade de guardar a nossa bagagem no aeroporto.
    Se tudo isto for possível,nós pretendemos reservar um tour numa agência local para o nosso grupo de 12 pessoas, que nos recolham no aeroporto e que nos deixem novamente no aeroporto após o tour, acham que é viável?
    Agradeço antecipadamente a vossa atenção, espero que me possam ajudar…
    Cumprimentos! Ana Santos

    1. Viva Ana! Antes de mais peço desculpa pela demora na resposta. Quanto às tuas perguntas, vamos a elas:

      – relativamente ao visto, uma vez que só vão estar 19 horas em Beijing não necessitam de visto, uma vez que são elegíveis para o 72h Visa-Free que a China dá a cidadãos de alguns países, ou seja, podem ficar em Beijing (e mais uma mão cheia de cidades chinesas) até 72h sem precisarem de visto (vê mais aqui: http://pt.china-embassy.org/pot/lqsw/Consulate01/t1003967.htm). Pelo sim pelo não, e como as regras dos vistos para a China mudaram no final do ano passado, enviava um email para a embaixada chinesa em Lisboa para confirmar que isto ainda se mantém.
      – para as bagagens, sim existe esse serviço no aeroporto (vê mais aqui: http://en.bcia.com.cn/server/service/baggageconsign.shtml).
      – quanto às tours de um dia, sim elas existem. Normalmente vão buscar os turistas aos hotéis mas se falado com a agência penso que seja possível que vos vão buscar ao aeroporto. Tens, por exemplo, as da Travel China Guide (vê aqui: https://www.travelchinaguide.com/package/beijing-one-day-tours.htm).

      Espero que tenha ajudado. Qualquer coisa mais não hesites em contactar!

  4. Olá! Gostava de saber se há alguma especificidade em relação à declaração da entidade patronal? Pode ser em português?
    Obrigada

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *