O que fazer na Avenida Paulista aos domingos e feriados | BRASIL

Todos os domingos e feriados do mês, a Avenida Paulista em São Paulo fecha ao trânsito. Uma iniciativa de louvar, deixa assim com isto, todos os seus quase 3 km de comprimento livres para as pessoas, e como seria de esperar, tudo o que é paulistano aproveita o acontecimento, com deslocações em massa para esta grande artéria da cidade.

Há de tudo um pouco a acontecer na Avenida quando esta fecha aos carros. Desde músicos a artistas de rua, há comida e feirantes, já para não falar nos eventos especiais que aparecem sem darem aviso.

É excelente passar uma manhã ou tarde na Paulista, não sendo de todo tempo mal perdido! Esta é a lista de a fazeres essenciais!

  • Ver e ouvir os músicos de rua

Uma das primeiras percepções que se tem quando se chega às proximidades da Paulista é a musica. Mesmo ainda nas ruas paralelas à Avenida já se ouvem os sons dos músicos que, cada um à sua maneira, vão animando quem lá passa. O géneros são muitos, desde o rock e blues, à musica tradicional brasileira, passando ainda por vários virtuosos na guitarra ou violino que vão tocando grandes solos nos seus instrumentos.

É normal ver grandes agrupamentos de pessoas em redor de cada banda. Seja sentado no chão ou em pé, dançam ao ritmo da música, e no fim, como quem paga o bilhete, deixam a enorme contribuição dentro da caixinha das ofertas. É do melhor que esta avenida tem para dar!

  • Percorrer a Avenida de bicicleta, skate, ou patins em linha

Quando a Avenida Paulista fecha, as faixas mais interiores são reservadas para os ciclistas, com pinos a serem colocados para separar as faixas das pessoas dos que andam de bicicleta. É possível alugar bicicletas (de graça!), como também o é skates e patins em linha. A Avenida é ligeiramente inclinada num dos sentidos (oeste para este), pelo que é fácil lá passear (não se nota nada quando se está no sentido a subir, mas sente-se aquele impulso extra quando se está a descer de skate no sentido inverso).

Esta faixa dedicada faz parte de uma iniciativa da Bradesco Seguros em criar uma grande ciclovia em São Paulo, que se estende desde o centro, ao Aeroporto de Guarulhos, até a Parque Villa Lobos. Mais informações no link em baixo.

Info: http://movimentoconviva.com.br/sao-paulo/

  • Ir ao MASP, ao Itaú Cultural, ou à Casa Japonesa

As opções culturais da Avenida Paulista são imensas, mas a destacar tem de ser sem duvida o MASP, a Japan House, e o museu Itaú Cultural. No MASP (Museu de Arte de São Paulo), há toda uma colecção de arte ocidental, com quadros, estátuas, e arte sacra. Na Japan House, toda a cultura japonesa é transportada para a cidade, com exposições dedicadas, workshops, e um dos melhores restaurantes nipónicos do país (Junji Sakamoto). No Itaú Cultural, a fauna e flora do Brasil são postas em exibição (bem como também mapas e paisagens pintadas da altura da chegada dos portugueses ao país). É escolher e ir.

Custo: R$ 35 no MASP, e tanto a Japan House como o Itaú Cultural são gratuitos.

  • Provar açaí, beber água de coco, ou comer um pastel

A Paulista é uma oportunidade excelente para provar iguarias brasileiras! O tão afamado pastel (massa fina frita, com recheio de várias opções: frango, queijo e cogumelos, etc.), água de coco tirada directamente do fruto, e gelado de açaí com banana, leite condensado, e sortido de toppings por cima, dizem todos presente algures pela Avenida. Delicia!

  • Ver a arquitectura dos edifícios da Avenida

São Paulo está carregada de edifícios altos. Não lhes podendo chamar arranha-céus, são mesmo assim, muito maiores que os da maioria das cidades do mundo. A Paulista está carregada deles, com cada um a ser mais diferente que o outro e todos eles a merecerem ser apreciados.

Outra das características da Avenida é a quantidade de torres gigantescas de telecomunicações que estão por cima dos prédios. Armações enormes de metal, qual Torre Eiffel, que também têm a sua beleza e merecem um par de fotos.

  • Observar os artistas de rua (mágicos, dançarinos, etc.)

Para além dos músicos, há também muitos artistas de rua a fazer magias, bolhas de sabão enormes para a delicia dos mais pequenos, e até mesmo dança contemporânea! Há de tudo e o mais fantástico é nunca saber ao certo o que se vai encontrar!

  • Ir à Livraria Cultura

A maior livraria da cidade fica num espaço de lojas junto à Paulista, chamado Conjunto Nacional. Com vários pisos, uma área aberta gigante, e uma espécie de esqueleto no tecto, a Livraria Cultura é o lugar indicado para encontrar aquele livro para levar para casa ou aquele CD de Tom Jobim para ouvir repetidamente no avião de volta.

Como chegar: no piso térreo do Conjunto Nacional, perto da ponta noroeste da Avenida Paulista.

Horário: segunda a sábado das 9h às 22h, domingos e feriados das 11h às 20h.

Link: https://www.livrariacultura.com.br/loja/livraria-cultura-conjunto-nacional-2000003

  • Fazer uma Free Walking Tour

Outra das excelentes actividades para se fazer na Avenida Paulista é uma Free Walking Tour. Com a duração de aproximadamente 2h30, esta tour corre a avenida de uma ponta à outra, focando nos marcos maiores da mesma. Como é normal, estas tours são gratuitas e no fim cada um contribui para o guia o que achar que este merece. São muito didáticas!

Link: https://www.saopaulofreewalkingtour.com/

  • Ir à feira de artigos vintage em 2ª mão por  baixo do MASP

A Paulista fechar é também sinónimo de feiras abrirem. Uma delas (e provavelmente a maior de todas da zona) é a que acontece por baixo do edifício do MASP. Pequenas bancas estendem-se ao longo de toda a base do museu, cada uma com uma especialidade de artigos vintage para venda. Sejam relógios, peças de louça, facas e cutelos, roupa, há de tudo um pouco. Mais um sitio muito bom para uma compra de última hora.

  • Não perder um evento especial

Por fim, outra coisa a não perder na Avenida maior de São Paulo aos domingos e feriados são os eventos especiais que por lá aparecem. É estar atento aos sites locais de eventos que estas actividades aparecem por lá. Cheguei a ver de tudo, desde dragões chineses aquando do ano novo chinês, samba durante o carnaval, mágicos com a bola em preparação para o mundial de 2018 na Rússia, aulas de crossfit durante a manhã. O lema é: se existe, provavelmente vai estar na Paulista!


 

Como chegar: parte da linha verde do metro (estações Consolação, Trianon-MASP, e Brigadeiro) atravessa a todo o comprimento a Avenida Paulista. Há também a estação de metro Avenida Paulista da linha amarela no extremo noroeste, ou a estação Paraíso da linha azul no extremo sudeste.

Nota: uma pequena nota para dizer que a Avenida Paulista é completamente segura durante esta iniciativa, ao contrário de algumas outras zonas de São Paulo. Há policiamento na rua e é tranquilo andar com máquinas fotográficas ao pescoço ou na mão. Basta ter as mesmas precauções que numa outra qualquer cidade do mundo e não haverá problema. Passei lá muitos domingos a tirar fotos e a minha máquina sobreviveu para contar a história!

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *