Plano de 4 dias e dicas para visitar a zona sul do Kruger | ÁFRICA DO SUL

Nenhuma visita à África do Sul fica completa sem um safari no Kruger Park. Cobrindo uma área idêntica à do nosso Alentejo, é um dos melhores lugares no mundo para observar a natureza no seu estado mais selvagem, com uma diversidade local enorme, desde o elefante ao leopardo, passando por leões, hipopótamos, e crocodilos.

Parque

O Parque Nacional do Kruger fica na região nordeste da África do Sul, junto à fronteira com Moçambique. Funciona como qualquer parque natural de Portugal (Arrábida, Sintra, etc.): podemos percorrê-lo de uma ponta à outra em carro próprio, dormir no seu interior, apreciar a beleza da Natureza. Pequena diferença: desde que se passam os portões de entrada até que se sai (ou se entra num dos parque de campismo vedados que existem no seu interior) é expressamente proibido sair do carro! Porquê? Porque se na Arrábida o máximo que se pode encontrar é um javali ou uma raposa, no Kruger pode ter-se a sorte (ou o azar) de dar de caras com um leão ou leopardo famintos. Não é estranho pois esta ser a regra nº 1 do parque!

Preço entrada no parque: 372 Rand/dia (cerca de 24 €)

O parque é pago, com cada entrada a ter de ser paga nas gates na sua periferia (ver valor atualizado das tarifas aqui). Quando se faz a reserva de uma noite num dos parque de campismo existentes no parque no entanto, este preço já está incluído no valor da noite, pelo que não é necessário pagar à parte.

Limite de velocidade dentro do parque é de 50 km/h. Pode parecer muito baixo mas na verdade é o ideal, pois ao conduzir devagar aumenta a probabilidade de ver algum animal.

O parque não está aberto 24 horas. Desde o pôr do sol ao nascer do mesmo não é permitido conduzir (exceto veículos devidamente autorizados, leia-se, visitas guiada do parque ou tours planeadas). Apesar de variar ao longo do ano, em média tem-se que as portas de entrada no parque abrem às 6 da manhã e fecham às 18 da noite (ver informação atualizada aqui).

Existem vários parques de campismo dentro do parque. Uns com maior numero de opções de alojamento e atividades que outros, é no entanto o parque de Skukuza o maior de todos. Consoante o parque, há a possibilidade de alugar desde um espaço para montar uma tenda a bungalows com kitchnet privada. As reservas são feitas online, através de um portal simples e intuitivo de usar. Aconselho a reservar com alguma antecedência (mais ou menos dois meses antes) pois a oferta de camas e atividades não é assim tão grande face à procura, e é muito mais giro ficar a dormir dentro do parque do que nas cidades à volta dele. 

Toda a informação que se pode querer saber sobre o parque está no site oficial do mesmo: www.sanparks.org/parks/kruger. Aqui podem-se ver os detalhes relativos às regras do parque bem como fazer reservas de alojamento e/ou atividades. É fácil de usar, com o pagamento é poder ser feito na hora com cartão. 

Percurso

Com inicio na zona de Nelspruit, esta sugestão de percurso é circular. Depois de entrar no Kruger pela Numbi Gate, todo o trajecto está focado na zona sul do parque, entre os parques de campismo de Pretoriuskorp, Skukuza, e Lower Sabi. A área a explorar é bastante grande, com bastante diversidade animal, incluindo todos os Big Five: leão, elefante, leopardo, búfalo, e rinoceronte (tive a sorte de os ver a todos aqui!).

Dia 1

Aterrar no Aeroporto Internacional Kruger Mpumalanga ao final da manhã e alugar um carro (para dicas do que ter em conta quando alugar um carro na África do Sul ver o post Dicas e conselhos quando se alugar um carro na África do Sul | ÁFRICA DO SUL). Caso o ponto de partida seja Joanesburgo, apanhar um autocarro de 4 horas para Neslpruit com a CityBug (autocarros de boa qualidade, viagem confortável, fiz o trajecto inverso e não tive problemas), e alugar um carro na cidade.

Fazer o trajecto em direcção a Hazyview, passando por todas as aldeias/vilas pelo meio. A meio caminho virar para a Numbi Gate (apesar de as placas para o parque serem pequenas há muita sinalização na estrada, não engana). Parar na Numbi Gate para comprar o bilhete de entrada no parque e ter o carro revistado pelos seguranças antes de entrar. Seguir para o campsite de Pretoriuskorp (demora-se cerca de 1 hora e meia a conduzir desde o aeroporto até ao parque de campismo).

Fazer o check-in no parque a meio da tarde, deixar as malas, comprar mantimentos que sejam necessários (o camping tem um minimercado no seu interior, ideal para comprar água e alguns snacks) e explorar a zona envolvente a Pretoriuskop durante a tarde até às 18:00 (hora em que o portão do camping fecha e não é permitido circular no parque). Tendo em conta a localização do parque, não há muitas opções a não ser seguir na estrada de alcatrão em direcção a Skukuza (há outra que segue para sul mas a não ser que se tenha alugado um 4×4 não é aconselhável fazer) e depois voltar para trás.

Descansar durante o final de tarde no parque para às 20:00 começar uma Night Ride previamente agendada com o parque. Sai-se durante a noite para a savana, num jipe unimog aberto com cerca de 20 lugares, conduzido por um guia que vai explicando os sons que se ouvem e procurando com um holofote animais que estejam nos arbustos. Apesar de não se conseguir ver tanto como durante o dia devido à escuridão, é uma experiência engraçada e diferente por haver sempre aquela imprevisibilidade de estar um elefante escondido num arbusto logo ao lado do veículo. É aconselhável levar agasalhado pois o jipe não tem janelas fechadas (apesar de haver mantas em cada lugar para proteger do frio). Duração da viagem: aproximadamente 2 horas.

Dia 2 

Acordar às 4 da manhã e sair ainda de noite para um Sunrise Ride. O passeio é idêntico ao do dia anterior, mas com a grande diferença que neste vê-se o sol a nascer sob a savana e, tendo em conta que é durante os primeiros raios de luz do dia que existe a maior movimentação de animais, vê-se muita fauna local (elefantes, zebras, girafas, etc.). Regressar ao parque por volta das 8 da manhã, arrumar a mala, e fazer check-out.

Conduzir devagar até Skukuza durante a manhã, parando sempre pelo caminho para avistar as várias espécies de animais que vão aparecendo. Em Skukuza ao final da manhã, fazer o check-in no camping, deixar malas no quarto/tenda, e continuar a exploração do Kruger. De Skukuza continuar para este junto ao Rio Sabie, atravessando-o mais tarde para norte em direcção ao Tshokwane Picnic Site. Almoçar e visitar o vários viewing points na área, perto do rio Nwaswitsontso (excelente zona para ver crocodilos).

Regressar ao camping de Skukuza para mais uma Sunset Ride (não sem antes abastecer de mantimentos para o jantar ao final do dia), agora por paisagens diferentes das de Pretoriuskorp e com todo um novo leque de animais para observar (bisontes, leões, leopardos, babuínos, etc.). O passeio dura cerca de 3 horas, no mesmo tipo de veículo do de manhã, mas agora por muito mais estradas de terra batida, portanto é preparar para os solavancos. Regressa-se já de noite ao camping, a tempo de jantar e descansar.

Dia 3 

Acordar cedo (às 4 da manhã mais uma vez) para mais um Sunrise Ride em Skukuza (podem parecer muitas saídas mas cada uma delas vai ser sempre diferente da anterior, quer seja pelo percurso feito, quer seja pelos animais vistos). O amanhecer é excelente para ver animais, pois é a altura do dia em que muitos deles se movimentam para perto de percursos de água ou bebedouros para se abastecerem para o dia. Esta zona é propicia a zonas dessas pelo que vê-se muitos animais nas redondezas (famílias de rinocerontes por exemplo).

Voltar ao parque depois da saída, arrumar a mala, e fazer o check-out. Depois de sair de Skukuza, continuar mais uma vez para este mas desta vez seguir o rio Sabie para sul. Este percurso de estrada junto ao rio é excelente para observar animais, especialmente durante o Verão, altura em que a escassez de água pelo parque faz com que os animais se dirijam ao rio para beber, aumentando as probabilidades de encontrar alguns ou até talvez de uma caçada de leões vs. antílopes.

Almoçar no parque de Lower Sabie, comprar um ou outro souvenir, e fazer um desvio para norte em direcção do Mlondozi Picnic Site. Este é um lugar excelente para ver a savana pois fica numa pequena colina sob a planície, e fica fácil avistar as manadas de elefantes, girafas, ou zebras.

Regressar ao camping de Lower Sabie e continuar para sul durante a tarde, em direcção ao camping de Crocodile Bridge e ao portão de saída do Kruger com o mesmo nome. Sair antes de dos portões fecharem ao final da tarde.

Continuar para sul até Komantipoort (cidade fronteiriça com Moçambique), e seguir para oeste em direcção a Nelspruit. Existem muitas placas a indicar o caminho pelo que é difícil enganar.  A estrada é larga, mas tendo em conta que o caminho é feito durante o entardecer/noite, é preciso ter cuidado. Para alguma dicas e conselhos sobre condução na África do Sul ver o post Dicas e conselhos quando se alugar um carro na África do Sul | ÁFRICA DO SUL. Passar a noite em Nelspruit.

Dia 4

Acordar cedo e entregar o carro ao stand de aluguer escolhido. No stand pedir para chamar um taxi e ir para o terminal de autocarros da Citybug (link para o mapa). Apanhar um autocarro para o Aeroporto de Joanesburgo (cerca de 4 horas de viagem, 20€, num autocarro normal tipo Rede Expresso), terminando assim a viagem.

Notas

  • Visitar o Kruger no Verão aumenta a probabilidade de avistar animais de todo o tipo. Estes costumam estar mais concentrados nas poucas zonas com água (rios ou pequenos lagos) do que durante o Inverno, porque, uma vez que chove mais, há mais zonas com água e os animais estão mais dispersos.
  • De todas as listas de material a levar, não esquecer os binóculos, são mesmo obrigatórios.

Artigos relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *